quarta-feira, agosto 03, 2005

Não queremos cá cães amestrados

Após 12 dias a exercer funções, o ministro Teixeira dos Santos dá a primeira facada no sistema que só por si se encontra já dilacerado.
A administração da banca pública sofre uma redução de elementos, com isto tencionou o ministro aparentar uma redução de custos relacionados com os cargos. Mas na realidade mais não fez do que esbanjar dinheiro em indemnizações e garantir uma maior concentração de poderes. Pior ainda é que a substituição de alguns cargos, nomeadamente o de Vitor Martins que estava no cargo há 10 meses por Carlos dos Santos Ferreira, dá idéia de 'saneamento' político nos orgãos financeiros do estado tal como referiu o meia-leca do PSD.
Depois da Galp foi agora a vez da Caixa Geral de Depósitos ser posta nas mãos dos amigalhaços de modo a não haver entraves aos negócios do engenheiro da treta. A antiga administração mostrou-se pouco receptiva ao investimento nas obras públicas que estão na mira dos irresponsáveis do governo. É aí que entra esta medida como forma de resolver o problema. Foi pior a emenda que o soneto, mas muito pior, neste país governos duram 4 meses, administrações de orgãos soberanos não chegam a durar um ano...como há-de chegar este navio a bom porto se em cada milha navegada volta ao estaleiro para reparar os sucessivos rombos!?
Os amigos de Guterres e do centralismo estão a vir ao de cima, emergem surrateiramente enquanto a maioria se banha no sol do Algarve. Assim levanta-se menos poeira e os cães podem ladrar enquanto a caravana passa que ninguém os ouve, ninguém salvo seja!
Estamos à espera da justificativa do governo para esta demissão de um indivíduo que fez crescer os lucros da CGD em 27% no primeiro trimestre de 2005. Esta parece-me difícil de justificar. Já formulei acerca de Teixeira dos Santos, é cão bem educado e um cão não serve para ministro das finanças. Demita-se Sr. Ministro, 12 dias chegaram para provar o que vale. Se o povo quisesse um cão seria um cão independente daqueles que sobrevive nas ruas de uma metrópole e não um cãozinho cheio de pedigree mas que não sobrevive sem a protecção do seu dono.

3 Comments:

Anonymous O Velho da Montanha said...

Infelizmente, as suspeitas que eu já tinha aquando a saída de Campos e Cunha, confirmam-se e a realidade ainda é mais grave.
Infelizmente já não me parece que isto tenha remédio.

4:39 da tarde  
Blogger rajodoas said...

Amigo, mas é destes que o Sócrates gosta
Este é dos que concorda com tudo quanto
o seu 1º. ministro quer que se faça. Veja-se assim que tomou posse veio logo
concordar com os projectos megalómanos da OTA e TGV, numa atitude de subserviência a que não se prestou Campos e Cunha.

5:35 da tarde  
Blogger Biranta said...

Pois eu só não percebo porque raio de carga d'água é que a Cardona se mantém. Por mim, tudo quanto seja correr com esses mafiosos, parasitas, incompetentes, que são nomeados para estes cargos apenas porque pertencem às máfias partidárias estou de acordo. Acho as indemnizações um escândalo, uma recompensa de gangsters, sem qualquer razão de existir, que exaure os recursos do estado, quer nestes casos quer para os deputados e políticos.
Portanto, o problema é que não se trata de correr com esta escumalha, mas de substituir a escumalha, mantendo a actuação criminosa de pagar as indemnizações abusivas.
O que nunca poderia era concordar com o facto de os delfins do CDS e do PSD passarem a ter direito de se manterem nestes cargos, apenas porque deixassem de ser de "confiança política". Ou seja, deixando os cargos de ser de "confiança política", todos os nomeados anteriormente terão de ser corridos, mas sem indemnização.

1:09 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home