sexta-feira, julho 29, 2005

Protesto

Ontem a sessão da assembleia foi assistida por centenas de funcionários públicos que se manifestaram contra o congelamento da progressão automática das carreiras dos funcionários públicos.
"Não aprovem o roubo" expresso em panos brancos e insultos verbais: "faxistas", "gatunos", "mentirosos".

Diz o governo que as progressões vão ficar dependentes do mérito do trabalhador. Ora, qualquer um identifica nesta informação mais uma mentira feia, é claro que ao aprovarem a infame medida, não haverá mesmo progressões a não ser para os sobrinhos e afilhados cães de fila do governo a quem será atribuído o tal mérito.

Entre os protestantes encontravam-se agentes da Associação Sindical da PSP e GNR, o governo bem ao estilo pidesco tratou de tentar identificar estes indivíduos para que fossem punidos. Será que os agentes não têm o direito de manifestarem indignação??

No final da sessão Sócrates disse:

"Não abandonaremos o nosso caminho, não nos intimidam nem a arruaça nem o insulto".

Disse ainda que:

"quando os portugueses deram uma maioria absoluta ao PS foi para que as coisas mudassem e não para que tudo ficasse na mesma"
Cá entre nós, melhor não me parece que vão ficar!

E acrescentou:

"Devemos investir mesmo quando faz mau tempo, precisamente para que venha o bom tempo"

Afirmou ainda que a sua prioridade de investimento público é "a qualificação das pessoas e a sua formação".
Esta última afirmação é demagógica, ou é só impressão minha? De que investimentos fala aquela besta, alguém sabe???
O ministro aceitou certamente como lúcidas as afirmações de Luís Fazenda sobre as áreas prioritárias de investimento, proferidas no dia anterior e aproveitou para se embandeirar com essa imagem mesmo sem ter feito até agora nada em concordância com essa linha de pensamento.
Mente com os dentes todos que tem na boca aquele desgraçado!

10 Comments:

Blogger Sofocleto said...

Sócrates começa a abanar. Vamos ver quanto tempo dura.

4:09 da tarde  
Blogger rajodoas said...

Ele afirmou efectivamente que se deve investir mesmo havendo mau tempo. Até aí tudo bem, mas porquê que ele em vez de
construir a OTA e investir no TGV, não o faz antes num complexo industrial de produção de chapéus de chuva e gabardinas, para os interessados se protegerem do mau tempo.

10:49 da tarde  
Blogger Biranta said...

Um bom exemplo dum arruaceiro, nazi, a dizer que não se intimida... Falo de Sócrates, obviamente. Pudera! Ele sabe do que fala! É "especialista" nisso! Nisso e na mentira, na mistificação, nas falácias... No que não é "especialista" é no respeito pela democracia e no exercíci, digno e eficiente, das funções a que se candidatou...
Não concordo com Sofocleto. Acho que ainda falta muito (de consciência e esclarecimento dos cidadãos) para que Sócrates comece a abanar...
Agora imaginem os meus amigos que as pessoas presentes nas galerias estavam cientes e conscientes do facto de que o governo foi eleito com, apenas 29,3% dos votos e não com maioria? Imaginem que alguém, de entre aquelas "galerias" mostrava aos deputados e ao primeiro ministro, estas contas e assumia a natural conclusão de que, nem o governo tem maioria, nem tem legitimidade para continuar a destruir o país sem querer saber da opinião dos cidadãos, porque rompeu o compromisso, na base do qual obteve a representatividade; isto é: mentiu!
Toda a discussão se alteraria e o PM, em vex de insultar os presentes, teria muito que "explicar"... Aí sim, que Sócrates começaria a abanar.
Mas porque é que, nem sindicatos, nem outras organizações cívicas, nem os OCS, nem a oposição falam destas questões? Só pode ser porque "comem todos do mesmo tacho"...
Por isto e apenas por isto, se justifica que avancemos para a publicitação destes factos que todos ocultam e mistificam.
É que a forma como o PM falou faz com que os cidadãos se voltem uns contra os outros, porque houve uma maioria (de 29%) que votou nestes bandidos, ainda por cima enganados com falsas promessas e falsos compromissos.

1:18 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Tal como Sócrates pretendeu saber a identificação dos agentes que se manifestaram, também exigiu aos conselhos executivos das escolas que delatassem os colegas que tinham aderido à greve! O que é isto, senhores, se não uma DITADURA?!
Grave é que através dos meios de comunicação social, ao serviço da classe dominante - que Sócrates tão bem serve (subserviente) -, se consiga que o povo perca toda e qualquer réstia de coesão social. Sem união é mais fácil a dominação.

9:47 da tarde  
Anonymous Pablo said...

eu axo bem q os trabalhadores da função publica tenham exactamente os mesmos direitos q os outros, ou seja o tempo de reforma, assistencia médica, evoluçao nas carreiras, etc. já agora, ditadura?? meios de comunicação ao serviço da classe dominante?? ouve lá o comunismo já acabou e marx já morreu, estas teorias cansadas da esquerda demagógica já estam ultrapassadas. vai lá perguntar aos trabalhadores de leste q vêm pra cá se eles gostavam de viver na ditadura do proletariado...

1:34 da tarde  
Blogger xipsocial said...

Desculpa lá oh Pablo, já o disse várias vezes, os trabalhadores do privado é que deviam ter as mesmas condições laborais da função pública. Ao reduzirem-se os direitos adquiridos na função pública, ainda mais perante esse argumento de paasarem a ter menos regalias de modo a equipararem-se ao privado, é andar de cavalo para burro, que me parece ser o que tu na realidade és com um cheirinho a neo-liberal de direita.
Caso não te tenhas apercebido ainda a comunicação social está mesmo nas mãos das classes dominantes, dos senhores todos poderosos do governo que tu ajudas-te a eleger e nas mãos de empresários que tu provavelmente veneras. Abre os olhos!
Não quero de modo algum submeter-me a ditadura alguma, infelizmente já vivo numa, tu também ainda não te apercebeste mas a democracia em que julgas viver é mais uma partidocracia ditatorial em que existe a liberdade de expressão, factor que disfarça um pouco este facto perante mentes ignorantes.
Continua um bom cãozinho amestrado e pode ser que ainda venhas a ter um futuro brilhante como teve o teu amigo Beato no PS que a esta altura já deve estar a encher o tachito.
E já agora, tu gostas de viver em Portugal??

2:05 da tarde  
Blogger xipsocial said...

Ainda mais uma coisa Pablalhão, Marx já morreu mas isso não implica de maneira alguma que os seus ideais se apliquem ao presente, nem que seja por uma minoria apenas. Hitler também já morreu e o nazismo ficou, porque será que não usaste o exemplo de Hitler em vez de Marx?
Já reparei que lá no curso de Comunicação Social que frequentas não aprendes nada, enches o cú de dinheiro ao reitor que te garante uma ignorância suprema como base da tua formação. ABRE OS OLHOS!

2:23 da tarde  
Blogger xipsocial said...

Errata:...isso não implica de maneira nenhuma que os seus ideais NÃO se apliquem ao presente....

2:24 da tarde  
Anonymous Pablo said...

e como é q sobreviviamos economicamente?? c reformas aos 60 anos e subidas de carreira automáticas?? n sou de direita, simplesmente n vejo tudo de um modo ideologico como tu! a comunicaçao n está ao serviço de ninguem, muito menos do sócrates, todos os dias vejo artigos de opiniao contra ele. se gosto de viver em portugal? pq essa pergunta? n percebo... corrupçao é o q nos faz ficar pra trás e n o sistema, nos paises mais avançados social e economicamente sao partidos de direita q tao no poder. sinceramente nunca votei num partido de direita mas se fosse o melhor pra min e pró meu pais. devias de te aperceber q marx viveu no sec. XIX e a maior parte das coisas q ele dizia faziam parte daqula altura, agora tudo mudou...

2:51 da tarde  
Blogger xipsocial said...

Tudo mudou e pronto, tudo o que está para trás deixa de ter valor.
Não digas a muita gente que achas que a comunicação social não é manipulada, não é só pelo governo, são as grandes empresas os partidos etc.
Se concordas com as medidas tomadas relativamente à função pública e se estás iludido que isso é que vai trazer melhorias económicas ao país, deixa-me dizer-te que além de burro mostras também a tua ideologia, embora uma ideologia não fundamentada e apenas contraproducente relativamente à opinião manifestada por mim. De resto a tua teimosia não fundamentada já é um facto ao qual estamos habituados. Experimenta pensar um pouco antes de abrires a boca ou tocares no teclado, é o que muitos fazem e costuma resultar.
Se leres todo o blog com atenção hás-de constatar que a ideologia não é o meu forte, baseio-me mais em factos e argumentos acerca da actualidade, do que acho correcto e errado. Idealizar é para quem tem capacidade para isso, não é para qualquer um que manda postas de pescada tendo em vista apontar novos caminhos mesmo que estes sejam piores que os antigos.

3:30 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home