sexta-feira, setembro 30, 2005

Vilanagem

Acharam escandalosa a reforma de Santana Lopes?

Então e o que acham destas declarações que recebi por mail?


Ainda têm coragem de pedir sacrificios !!!

APESAR de ter apenas 50 anos de idade e de gozar de plena saúde, o
socialista Vasco Franco, número dois do PS na Câmara de Lisboa durante
as presidências de Jorge Sampaio e de João Soares, está já reformado.

A pensão mensal que lhe foi atribuída ascende a 3.035 euros (608
contos), um valor bastante acima do seu vencimento como vereador.

A generosidade estatal decorre da categoria com que foi aposentado -
técnico superior de 1ª classe, segundo o «Diário da República» - apesar
de as suas habilitações literárias se ficarem pelo antigo Curso Geral do
Comércio, equivalente ao actual 9º ano de escolaridade.

A contagem do tempo de serviço de Vasco Franco é outro privilégio raro,
num país que pondera elevar a idade de reforma para os 68 anos, para
evitar a ruptura da Segurança Social. O dirigente socialista entrou para
os quadros do Ministério da Administração Interna em 1972, e dos 30 anos
passados só ali cumpriu sete de dedicação exclusiva; três foram para o
serviço militar e os restantes 20 na vereação da Câmara de Lisboa, doze
dos quais a tempo inteiro.Vasco Franco diz que é tudo legal e que a lei
o autoriza a contar a dobrar 10 dos 12 anos como vereador a tempo
inteiro.

Triplicar o salário. Já depois de ter entregue o pedido de reforma,
Vasco Franco foi convidado para administrador da Sanest, com um ordenado
líquido de 4000 euros mensais (800 contos). Trata-se de uma sociedade de
capitais públicos, comparticipada pelas Câmaras da Amadora, Cascais,
Oeiras e Sintra e pela empresa Águas de Portugal, que gere o sistema de
saneamento da Costa do Estoril. O convite partiu do reeleito presidente
da Câmara da Amadora, Joaquim Raposo, cuja mulher é secretária de Vasco
Franco na Câmara de Lisboa. O contrato, iniciado em Abril, vigora por um
período de 18 meses.

A acumulação de vencimentos foi autorizada pelo Governo mas, nos termos
do acordo, o salário de administrador é reduzido em 50% - para 2000
euros - a partir de Julho, mês em que se inicia a reforma, disse ao
EXPRESSO Vasco Franco.

Não se ficam, no entanto, por aqui os contributos da fazenda pública
para o bolo salarial do dirigente socialista reformado. A somar aos mais
de 5000 euros da reforma e do lugar de administrador, Vasco Franco
recebe ainda mais 900 euros de outra reforma, por ter sido ferido em
combate em Moçambique já depois do 25 de Abril (????????), e cerca de
250 euros em senhas de presença pela actuação como vereador sem pelouro.

Contas feitas, o novo reformado triplicou o salário que auferia no
activo, ganhando agora mais de 1200 contos limpos. Além de carro,
motorista, secretária, assessores e telemóvel.

6 Comments:

Blogger H. Sousa said...

Pois é caso para se dizer: "Fartai-vos, vilanagem!".

8:08 da tarde  
Blogger Pablo said...

E depois quando se fala nos seus salários, pensões, reformas,etc, os politicos dizem que isso é demagogia! Os sacrificios têm que ser para todos, não só para alguns!

9:43 da tarde  
Blogger O Raio said...

Este texto, além de confuso e com contas mal feitas, é chocante.
Acho espantoso que numa altura em que devido às nossas obrigações para com os ditadores de Bruxelas estejamos a ser miseravelmente explorados e os nossos direitos reduzidos dia após dia, que em vez de nos virarmos contra os exploradores, aceitemos de bom grado a exploração a que somos sujeitos mas, sempre que encontramos alguém que seja menos explorado que nós desatemos logo a ganir!
Devemos lutar para que tenhamos todos direitos decentes e não aceitarmos que nos retirem os nossos direitos e não virarmo-nos contra aqueles que estão a escapar à exploração de uma forma legal.
Por fim os pontos de interrogação a seguir ao Vasco Franco ter sido ferido em Moçambique depois do 25 de Abril são absurdos. Quer em Moçambique, quer em angola quer na Guiná houve muito militar ferido e morto depois do 25 de abril.
A guerra não acabou no dia 26 de Abril, a guerra acabou depois de se terem feito conversações com os movimentos de guerrilha, conversações essas que duraram ainda um certo tempo.
Tinha um familiar que foi morto pela Unita juntamente com mais cinco camaradas em Angola, no dia 6 de Maio de 1974.

1:36 da manhã  
Blogger Salma said...

Xiça, Xip! Fizeste bem em postar sobre o assunto. Reformas anafadas é o que mais há por aí. CGD, Jardim, Santana, and so on... E pensar que quando chegar a nosso vez de as receber, já não vai haver nem sombra de reforma. Pois é, o estado previdência, ou o que resta dele, não vai sequer existir. São as "vantagens" do fim da história...

12:49 da tarde  
Blogger Douglas P said...

Mais um escândalo Nacional...
Essa bandalhagem devia ser linchada na praça publica por crimes contra a Nação!

7:53 da tarde  
Blogger xipsocial said...

São justos os 900€ auferidos pela mazela de guerra, resultantes do dever para com a nação(os pontos de interrogação estavam já no mail que recebi).
Mas, não acham que é exagerada a acumulação de vencimentos e pensões, de valores muito diferentes dos mínimos?
Para que existam situações deste tipo, os mínimos são muito baixos, traduzem-se em baixos níveis sociais. A regularização é fraca por não proporcionar a diminuição efectiva do fosso monetário social.

2:36 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home